Instruções sobre como preparar e/ou armazenar Psilocybe cubensis

A fim de tornar possível a qualquer pessoa passar por uma experiência com cogumelos semelhante às que registro por aqui, arrolarei a seguir procedimentos de preparo dos mesmos para consumo imediato, e também de conservação e armazenamento, para consumo num longo prazo. As orientações aqui apresentadas referem-se única e exclusivamente ao cogumelo da espécie Psilocybe cubensis. Fungos do gênero Panaeolus, e Amanita, por exemplo, devem receber cuidados diferentes. Atente-se a este fato. Com base em minhas experiências particulares, declaro que os métodos abaixo são eficientes, e totalmente seguros, desde que, claro, sejam observados cuidados especiais com relação às condições psíquicas-psicológicas, e fisiológicas, de quem pretende ingerir os cogumelos, assim como suas pré-disposições mais íntimas, suas motivações, objetivos, e expectativas pessoais. Não me responsabilizo pela não-observância a algum ou a nenhum destes fatores. Seja responsável por si e consciente de o que está fazendo.

LIMPEZA, DESIDRATAÇÃO, E ARMAZENAMENTO:

  1. Uma vez coletados os cogumelos, leve-os para casa em algum recipiente ou saco. A fim de se remover terra e outros detritos, lave-os delicadamente sob um fio fraco de água da torneira. Não os esmague ou quebre.
  2. Depois de limpos, deixe-os secar em qualquer lugar por um pouco de tempo, apenas para que não estejam mais encharcados.
  3. Coloque-os dentro de uma touca cirúrgica/culinária, ou em algum tipo de rede e/ou material pelo qual seja possível a passagem de ar. Pendure-os num ventilador, bem rente às pás, e ligue o ventilador em velocidade máxima.
  4. Aguarde por cerca de 12 horas (ou mais, se a quantidade de cogumelos for muito grande). Você deve virar o conteúdo a cada 4 horas, para que todas as peças se sequem por igual.
  5. Retire os cogumelos da touca/rede e coloque-os em um recipiente com tampa, preferencialmente de vidro. É necessário que junto a eles você arranje 3 ou 4 sachês de gel de sílica, ou qualquer outro dessecante (é possível encontrá-los em supermercados).
  6. Reserve o recipiente em local seco, e, se possível, escuro.
  7. O tempo de desidratação completa dos cogumelos dependerá da quantidade dos mesmos e da quantidade e poder de ação dos dessecantes que estiverem junto a eles. Em cerca de 5 dias eles estarão definitivamente secos, podendo permanecer, sua substância, ativa por anos, desde que, claro, os cogumelos continuem em contato com os dessecantes, e protegidos da luz e de umidade.
  8. Os dessecantes, se forem envelopes de gel de sílica, devem ser substituídos com o passar do tempo. Observe se os grânulos que ficam dentro dos sachês estão do mesmo tamanho de quando você os adquiriu. Se o sachê estiver estufado é hora de trocá-lo por outro. Observe como se expiram outros materiais e não deixe de cuidar deste detalhe.
  • Realizados estes passos, os cogumelos deverão estar crocantes e muito mais leves que antes, pois perderam toda sua água. A isto dá-se o nome de “cracker-dry”, que é um nível de desidratação ideal à conservação do princípio ativo dos cogumelos por bastante tempo. Você pode mantê-los inteiros dentro do recipiente ou moê-los e encapsulá-los, desde que as cápsulas sejam mantidas em contato com os dessecantes.

CONSUMO IMEDIATO:

A) – O CHÁ

ATENÇÃO: Antes de prosseguir com as etapas abaixo, consulte, ao fim de todas estas instruções, o tópico “Dosagens” para saber qual é a quantidade – em gramas – de cogumelos a ser utilizada no preparo do chá. As dosagens são sugeridas por porções individuais. Prepare o chá acrescentando quantas porções individuais forem necessárias, ou seja, para quantas pessoas forem necessárias. Cada porção de 10 gramas de cogumelos frescos deve ser acompanhada de um copo americano de água.

  1. Observado o primeiro – e apenas o primeiro – item do tópico anterior (Limpeza, desidratação, e armazenamento), separe dentre os cogumelos ainda frescos a quantidade que lhe melhor lhe convier (mais uma vez, obedecendo às proporções de dosagens descritas no tópico “Dosagens” a seguir), e despedace-os com as mãos dentro de um canecão, panela, ou bule, com água. Tanto estipe quanto chapéu devem ser consumidos. Não há necessidade de se descartar nada.
  2. A mistura deve ser aquecida em fogo mais baixo possível. NÃO a ferva, apenas a aqueça até que algumas bolhas pequeninas se insinuem por entre as paredes do recipiente e a água quente. A psilocibina pode degradar-se em altas temperaturas. Se preferir, acrescente açúcar, mel, canela, e/ou alguma fruta cítrica.
  3. A mistura deve ser distribuída igualmente, sem os cogumelos, em quantos copos forem necessários. Atente à proporção do chá (que é a de um copo americano para cada porção de 10 gramas de cogumelos frescos) a fim de que todos os envolvidos na experiência a apreciem igualmente.
  4. Aguarde o chá esfriar e o beba em seguida. Se preferir, divida sua dose em duas ou mais, e aguarde por cerca de 1 hora entre cada dose e outra, ou pelo quanto você julgar mais conveniente. Caso você queira reservar o chá, deixe-o em uma garrafa com tampa na geladeira, mas não por mais que 15 dias, e esteja consciente de que a potência do chá pode diminuir com o passar do tempo.

B) – FORMAS ALTERNATIVAS DE INGESTÃO

Assim como se faz com cogumelos comestíveis tradicionais, como o champignon, o shitake, o shimeji, etc., os cubensis podem ser ingeridos de diversas outras maneiras. É necessário, apenas, que se observe cuidados com a temperatura de um eventual cozimento a que você os submeter, pois, conforme já disse, a psilocibina pode degradar-se em altas temperaturas (100º Celsius ou mais). Listo abaixo algumas boas ideias:

  1. Suco de laranja natural, batido com gelo, açúcar e cogumelos frescos.
  2. Suco de limão natural, batido com gelo, açúcar, gengibre, abacaxi, e cogumelos frescos.
  3. Suco de melancia, batido com gelo, açúcar, mamão, cenoura e cogumelos frescos
  4. Cogumelos desidratados e amendoim japonês.
  5. Cogumelos desidratados e armazenados em cápsulas.
  6. Cogumelos desidratados, esfarelados, e polvilhados sobre uma salada leve ou fruta.

ATENÇÃO: Não misture cogumelos psicoativos a bebidas alcoólicas e/ou a outras drogas.

DOSAGENS

Este tópico, na realidade, é o mais importante dentre todos os procedimentos listados anteriormente. Psilocybe cubensis são cogumelos psicoativos e, como qualquer outra substância, não devem ser ingeridos em excesso. É isto uma questão de segurança psíquica, psicológica e também fisiológica. Considere este fato e não consuma mais do que o necessário. A responsabilidade é totalmente sua.

ATENÇÃO: As quantidades sugeridas abaixo, bem como sua potência, referem-se a uma única experiência individual.

A) – PARA COGUMELOS FRESCOS

  • 10 gramas equivalem a uma experiência leve.
  • 20 gramas equivalem a uma experiência moderada.
  • 30 gramas equivalem a uma experiência forte.
  • 40 gramas ou mais só devem ser ingeridas por usuários experientes e preparados.

B) – PARA COGUMELOS DESIDRATADOS

  • 1 grama equivale a uma experiência leve.
  • 2 gramas equivalem a uma experiência moderada.
  • 3 gramas equivalem a uma experiência forte.
  • 4 gramas ou mais só devem ser ingeridas por usuários experientes e preparados.

Tenha certeza de estar ingerindo a quantidade correta – em gramas – de cogumelos. Por segurança, opte por pesá-los utilizando-se de uma balança de precisão, e não cometa o erro de intuir que 30 gramas de cogumelos equivale a o que você imagina que é a partir de seus próprios critérios, ou a partir de comparações grosseiras. Qualquer erro mínimo de cálculo pode significar uma enorme diferença para sua mente durante uma experiência. Não vá para um pasto, num belo dia, para arrancar cogumelos do esterco e os comer sem pensar. Todos estes procedimentos, aliás, valem tanto para cogumelos selvagens quanto para cogumelos cultivados indoor, seja qual for a raça / strain. Oriente-se detalhadamente por eles e asseguro-lhe que nada de errado lhe acontecerá.

88 comentários em “Instruções sobre como preparar e/ou armazenar Psilocybe cubensis

    1. Não. Cogumelos frescos, aliás, são mais potentes em relação aos secos, pois o processo de secagem intensifica um pouco a oxidação enzimática de psilocibina. Secar cogumelos significa condicioná-los a um armazenamento em médio-longo prazo. Apenas isso.

      Curtir

    1. Willian, é de responsabilidade legal de quaisquer instituições de pesquisa científica advertir as pessoas a respeito da toxicidade de algumas substâncias com as quais elas trabalhem. É lei, entende? De qualquer maneira, um cogumelo Psilocybe cubensis enquanto amostra de estudo não é diferente, ou mais tóxico, que qualquer outro cogumelo da mesma espécie. Se você tiver certeza de que os seus cogumelos são os Psilocybe cubensis, vá em frente.

      Curtir

  1. caro psiconauta
    os principios ativos psilocina e psilocibina encontram-se tambem nos esporos e nos micelos onde ficam alojados ou seja na parte inferior escura do fungo ?

    Curtir

    1. Olá, Eduardo. Os princípios ativos não são encontrados nos esporos. No micélio, em sua fase terciária (estágio em que o micélio está pronto para produzir os corpos frutíferos), é encontrada uma pouca quantidade de princípios ativos.

      Curtir

  2. A questão do respeito para com os fungos sagrados deve receber maior atenção. Em experiência própria, fui ao inferno por “brincar” com o que está além da compreensão humana, e hoje, por conta disto sofro de ansiedade, e é horrível.
    Use sempre moderadamente e respeitando primeiramente os fungos, mas também respeitando à ti mesmo.

    Obs: da mesma forma que desenvolvi ansiedade com os cogumelos também trato ela fazendo uso dos mesmos.
    Tudo com respeito se há lucro.

    Curtir

    1. Olá, Matheus. Não faço aqui incentivo ao uso indiscriminado de quaisquer substâncias. Muito menos “brinco” com coisa alguma. Apenas relato, a quem interessar, os efeitos de alguns psicoativos sobre mim mesmo. É claro que devemos nos atentar para o fato de que um enteógeno pode mesmo ser prejudicial, mas, uma vez que eu tenha deixado claro (logo ao início deste tópico) que as condições pelas quais uma pessoa possa se submeter a uma experiência psicodélica deve considerar os estados psicológico, psíquico e fisiológico individuais, a responsabilidade pela não observância desses cuidados não é, obviamente, minha. Eu lamento pelo que ocorreu a você e espero que você melhore. Agradeço pelo comentário.

      Curtir

    1. Olá. Há inúmeras maneiras de se comer cogumelos desidratados. Você pode simplesmente enfiá-los na boca, mastigar e engolir ou, então, misturá-los a alguma comida ou bebida leve. Num pouquinho de açaí com granola eles ficam praticamente imperceptíveis. Você também pode batê-los com alguma fruta cítrica e água gelada, açúcar e o que seu bom senso lhe sugerir. Para esfarelá-los, use os dedos ou macere-os com a ajuda de um pilão e um almofariz.

      Curtir

      1. Entendi! Obrigado pelas dicas!

        Uma outra dúvida é sobre a ingestão de cerveja.
        Nesse post ensina a não ingerir álcool.
        Bem, eu GOSTO MUITO de tomar cerveja junto com drogas recreativas!
        Eu nunca comi cogumelos e nem minha esposa e acho que eles NÃO são para recreação (mas já estou com eles em mãos para comê-los com minha mulher pela primeira vez).
        Pretendemos comer 1g cada um desses desidratados.

        Tem alguma dica ou conselho?

        Grato pela ajuda!

        Curtir

      2. Eu vou dar a minha opinião baseada apenas no que ocorre comigo. Tenho notado que, aparentemente, o álcool “retarda” o efeito dos cogumelos. Isso significa que as primeiras sensações podem demorar um pouco mais a serem percebidas se você estiver embriagado. Por outro lado, e apenas de acordo com o que eu percebo, o álcool parece atenuar a transição do estado normal de consciência para o estado alterado, tomado pelos efeitos dos cogumelos. Não há uma mudança drástica. Nesse sentido, uma cerveja, desde que ingerida moderadamente, cai até bem já que, para muita gente, o choque resultante dos primeiros efeitos – que altera, conforme a dosagem, menos ou mais radicalmente o estado consciencial – pode trazer razoável ou forte desconforto. A minha dica é a seguinte: tenha bom senso, apenas isso. 1 grama é uma dose considerada fraca e, pra você e sua esposa, que são iniciantes, é o ideal. Numa primeira viagem, eu não sujeitaria meus sentidos a demasiados estímulos exteriores. Evite televisão, aglomerações e barulho. Se possível, inicie a experiência em um local mais ou menos bucólico, sereno. Uma música é interessante, e a natureza é uma companhia perfeita. Enfim. Se você quer beber e se sente bem assim, beba apenas a fim de dar uma diluída em seu superego. Apenas para sentir-se mais relaxado; não crie muitas expectativas, não fique ansioso. Boa sorte.

        Curtir

  3. Poxa! Excelentes dicas! Vou segui-las! Vamos comer em casa mesmo! 😀

    Outra coisa, dependendo se eu gostar em particular, pretendo consumir micro-doses deles duas vezes por semana por 24 dias. Mas temos uma viagem para a Europa, queremos rodar bastante de trem por lá e estava pensando em levar para lá! Será que podemos ter problemas com as autoridades ou existem uma forma segura para leva-los sem que sejam identificados?

    Muito obrigado pela atenção!

    Curtir

    1. Isso depende muito das leis de cada lugar. Eu não sei te dizer. Aqui no Brasil os cogumelos psicoativos, in natura, não são considerados substâncias ilegais. Seus princípios ativos, porém, quando isolados em laboratório, tornam-se drogas proibidas por lei, exatamente como o crack ou qualquer outra porcaria. É bom verificar antes de fazer a viagem. Quanto a uma forma “segura” de levá-los sem que eles sejam identificados, bem, isto também é complicado. Cada aeroporto conta com um sistema de fiscalização diferente. Talvez você pudesse arriscar correr o risco de encapsular algumas gramas e colocá-las em algum frasco de algum medicamento, portando, claro, a receita. A preocupação mais corriqueira, por parte dos responsáveis pela verificação, normalmente, envolve maconha e cocaína, que são detectadas por testes com reagentes químicos. É possível que submetam suas cápsulas a testes desse tipo. Você pode dar sorte. Ou não. Estude muito bem antes as leis de drogas vigentes nos lugares para os quais você quer viajar.

      Curtir

    1. Olá, Ronaldo. Se seus cogumelos foram devidamente desidratados, não há a necessidade de congelá-los. Basta que você os mantenha em um frasco fechado, longe de luz e umidade, de preferência junto a algum dessecante.

      Curtir

  4. Olá!
    Quanto tempo devo me alimentar antes de comer cogumelos? O que comer antes?
    Deve tomar remédio contra náusea e vômito como o Digestil uma hora antes?

    Curtir

    1. Eu te aconselharia, na verdade, procurar se alimentar preferencialmente de hortaliças no dia anterior à experiência e fazer um jejum de, pelo menos, seis horas antes de ingerir os cogumelos. De estômago vazio você absorve muito mais rapidamente a substância (em até vinte minutos) e, provavelmente, sofrerá menos com eventuais desconfortos abdominais como cólicas, náuseas, azia, etc. Estando de barriga vazia, só o que seu organismo processará serão os cogumelos. Você se sentirá conectado diretamente a eles, e poderá aproveitar totalmente seus efeitos. Eu, particularmente, evitaria qualquer fármaco industrializado. Tome bastante água antes, durante e depois da experiência. Não se inquiete demais se sentir ânsias. Você não vomitará a não ser que queira. Pode ser que você tenha também uma dor de barriga, o que é normal. De qualquer maneira, normalmente, incômodos fisiológicos são temporários e indicam apenas que os cogumelos ainda estão sendo digeridos em seu estômago.

      Curtir

  5. Certo!
    Então seria uma boa acordar de manhã em jejum no final de semana e come-los!?
    Eu falei do Digestil (remédio contra náusea e vômito) pois foi o que tomei para fazer uma lavagem pré-colonoscopia e deu muito certo (não tive nenhum enjou). Eu tenho gastrite e refluxo! ;(

    Curtir

  6. Bom dia!
    Se eu deixa alguns cogumelos em um fraco de vidro com silica azul, tem problema ?
    E como saber se ele estrago ou mofo com o tempo?
    É difícil acha a Silica laranja, a correta para armazenamento, a azul serve, ou pode ser um zip Lock a vácuo ?
    Obrigado!

    Curtir

    1. Olá. O problema é o grau de toxicidade que existe nos dessecantes diferentes dos usados para fins alimentícios. Gel de sílica laranja pode ser encontrado em bons supermercados ou em lojas especializadas. Vou te dar uma dica que pouca gente conhece: vá até um restaurante japonês e peça para falar diretamente com o sushiman da casa. Pergunte a ele se ele pode lhe dar alguns envelopes de sílica que vêm nos pacotes de alga. As algas marinhas industrializadas usadas para se fazer sushi são embaladas a vácuo e todas elas são acompanhadas de um envelope grande de gel de sílica atóxico. Para os restaurantes em geral, esses dessecantes tornam-se inúteis a cada vez que os pacotes de alga são abertos. Como para eles esse material é lixo, você pode conseguir tudo de graça, sem problema nenhum. É só conversar bem. Quanto a saber como seus cogumelos estragaram, bem, a primeira característica é a aparência. Cogumelos mofados ficam esbranquiçados (normalmente por contaminação pelo fungo Sclerotinia sclerotiorum); podem também escurecer demais – quase completamente -, o que indica oxidação enzimática excessiva. Outro fator é o odor. Se o cheiro estiver forte, seu bom senso lhe dirá que as peças não estão boas para o consumo. O “zip-lock”, mesmo que lacrado a vácuo, não é um recipiente livre de contaminantes. Portanto, se seus cogumelos não estiverem completamente desidratados, pode ser um erro simplesmente armazená-los dessa maneira.

      Curtir

  7. Bom dia.
    Coletei uma grande quantidade ontem ao final do dia e tive q viajar hj. resolvi colocar tudo no congelador, dentro de um zip-lock.
    Estraguei tudo? congelar perde o efeito?
    Gosto e bater eles com polpa de tamarindo e mel.
    Obrigado.

    Curtir

    1. Olá. Do aspecto químico, há uma ressalva. A maior parte do cogumelo é puramente água em estado líquido. O congelamento força suas moléculas a uma mudança de estado pelo qual os alcalóides tornam-se mais vulneráveis a uma oxidação. Psilocibina e psilocina cristalizadas estão sujeitas a isso. É claro que, a fim de se evitar um puro e simples apodrecimento, por ação de organismos, o congelamento pode ser uma ideia boa. Entretanto, eu não congelaria cogumelos com a finalidade de conservá-los por um médio ou longo prazo. O mais correto é a desidratação.

      Curtir

  8. olá boa noite, uma pergunta.
    Eu posso comer o cogumelo logo depois da colheita?
    ps:tenho um terrário de cultivo estéril, e com o ambiente ideal, unica coisa que quero fazer depois da colheita é limpa-los retirando a vermiculita presente e depois ingeri-los com alguns goles d’agua.
    Agradeço desde já.

    Curtir

    1. Olá, Luiz. Acho que você não leu direito. Eu me referi a 10 gramas de cogumelos frescos, e não a cogumelos desidratados. Está tudo muito claro no texto. Mande um abraço a essa tal “Redução de danos”, ok? Obrigado.

      Curtir

    1. Olá, Vitoria. Não há, na verdade, um “tipo” melhor que o outro. Se será a sua primeira experiência com cogumelos, procure ingerir uma dose menor, apenas isso. Eu lhe recomendaria 1 grama de Psilocybe cubensis desidratados, ou 10 gramas dos mesmos frescos, em seu estado natural. Estas porções são consideradas fracas, e ideais, a quem procura um primeiro contato com a psilocibina/psilocina. No tópico “Guia simplificado de identificação de cogumelos mágicos na Natureza” apresento detalhes bastante didáticos a respeito de onde encontrar os cogumelos que você quer. Leia com atenção e observe também as fotos. Boa sorte.

      Curtir

  9. Caro Diariodopsiconauta. Seu trabalho é muito importante, tenho 42 anos e já tive algumas experiências alucinógenas mas nunca com Cubensis. Muitas pessoas devem cometer excessos por não terem uma fonte de informação, por isso seu trabalho é tão valioso na internet. Obrigado por compartilhar suas experiências.

    Curtido por 1 pessoa

    1. Olá, Giones. Este é um canal pelo qual apresento apenas um ponto-de-vista: o meu. Há muito a se considerar. De qualquer maneira, meus registros e opiniões – tenho certeza – podem ser de grande utilidade a muitas pessoas. No mínimo, elas podem comparar as informações que disponibilizo por aqui com as que elas próprias já possuem e, a partir disto, estabelecerem seus parâmetros e diretrizes em bases um pouco mais sólidas. É essa minha intenção. Obrigado pelo comentário.

      Curtido por 1 pessoa

  10. olá, recentemente tive o prazer de encontrar cogumelos magicos ao redor da minha cidade (moro no interior da Paraiba) e durante o processo da desidratação, alguns deles mofaram.
    Gostaria de saber se tenho como reaproveita-los ou uma vez que nasceu mofo não é mais recomendado o consumo?

    Att. Monteiro

    Curtir

    1. Amigo, como qualquer outro gênero alimentício, cogumelos também devem ser descartados quando mofados. Não é recomendado o consumo. Bolores produzem micotoxinas que podem causar uma série enorme de problemas à saúde.

      Curtir

  11. Bom dia! Nunca tive uma experiência com Psilocybe cubensis, mas uso frequentemente Cannabis, me considero preparado psicologicamente para esta experiência, mas gostaria de saber que mesmo utilizando a dosagem correta é possível que ocorra algum efeito permanente no nosso psicológico?

    Curtir

    1. Veja, Elias, isto é bem complexo, mas vou, para a escandalização de algumas pessoas, lidar com esse tabu de maneira bem prática: a possibilidade certamente existe, mas ela é bem pequena. Você deve conhecer muito bem a si mesmo antes de induzir sua mente a um estado no qual você possa se sentir fora de controle; a um estado no qual você possa se sentir perdido, confuso, ludibriado. Apenas isto. Do ponto-de-vista clínico, a ressalva é a que considere seu histórico familiar de doenças psíquicas ou psicológicas. Seus pais apresentam patologias do tipo? Se sim, cogite não usar a substância, a não ser, claro, e mais uma vez, que você se conheça suficientemente bem. O maior problema, meu amigo, é essa suposta “dissociação” experimentada. Para algumas pessoas o choque é grande demais, entende? Se todos soubessem que não há dissociação alguma e sim o contrário, isto é, uma integração, ninguém se assustaria com alguma medida maior ou menor dos efeitos dos cogumelos. Eu diria que as pessoas que menos se conhecem são as que mais voltam prejudicadas da viagem, pois mergulham de cabeça para dentro de si mesmas e se assustam com o que lá encontram.

      Curtir

  12. Por quê os 1 grama de desidratado é mais forte que 10 gramas de um cogumelo fresco? E é possível comê-los desidratados? Tipo quando estiver no melhor ponto desidratado eu mastiga-los e come-los. Vai ter alguma diferença em relação ao chá? E os efeitos duram quanto tempo?

    Curtir

    1. Eu não disse que 1 grama de cogumelos desidratados é mais forte que 10 gramas dos mesmos em seu estado natural. A questão é apenas a proporcionalidade. Nesta relação, a dose é a mesma, entende? Não há diferença alguma. Quanto à duração dos efeitos, isto já depende de muitas variáveis. Em média, de 4 a 8 horas.

      Curtir

  13. Antes de tudo, eu gostaria muito de agradecer seus excelentes textos, esse tipo de compartilhamento de informação é a melhor função da internet, te desejo boas vibrações! Então vamos lá:

    Para o consumo imediato, comendo-os FRESCOS;
    1)Qual é a melhor forma de assepsia ?
    2) Aguá diretamente nas lamelas retira seu princípios ativos ?
    3) Comer logo após a colheita necessita de mais cuidados essenciais ?
    4) Pelo raio do chapéu e grossura das lamelas é possível ter uma dedução da gramagem?
    5) Em média, quantos gramas tem um cogumelo de tamanho médio ?
    6) Fora a dosagem e a assepsia, existem mais riscos de come-los frescos e logo após a colheita ?

    Bônus) Você recomendaria musica e natureza para uma boa experiencia ?

    Caso um dia queira, o seu trabalho teria um bom alcance em forma de vídeos também, seria um avanço na cultura psicodélica 😉

    Um abraço, e tenha boas trip’s mundos afora!

    Curtir

    1. Olá, Luis. São muitas questões. Vou respondê-las conforme a numeração que você deu a cada uma.
      1. O método mais simples, ou seja, a lavagem dos frutos em um fio de água corrente, normalmente, é o mais indicado. Cogumelos psicoativos costumam ser mais frágeis do que os culinários (como o shimeji, o shitake e o champignon). Assim, não é viável expô-los a fluxos de água muito fortes, pois despedaçam-se facilmente. De outro modo, a água corrente, ao entrar em contato com o corpo do cogumelo, retira dele parte de seus alcalóides. Você pode literalmente ver a substância ir pelo ralo. Deve-se ter cautela e paciência, portanto.
      2. Não necessariamente. Não há presença de princípios ativos nos esporos. De maneira geral, entretanto, não é adequado submeter qualquer parte do cogumelo a muita vazão de água.
      3. Isto depende de que tipo de colheita você está falando. Se você se refere a cogumelos selvagens, você deve saber que eles estão muito menos livres de contaminantes do que cogumelos cultivados domesticamente. Eu diria que cogumelos cultivados em um terrário, em um ambiente controlado e em condições de higiene domésticas, sequer necessitam ser lavados, a não ser a fim de que se retire deles grânulos derivados da composição do substrato artificial em que eles se desenvolvem. Quanto aos cogumelos que surgem no esterco, lave-os no fio de água e tenha consciência da possibilidade de você ter um desarranjo intestinal ou uma náusea, durante ou depois da experiência.
      4. Não. Não é possível. Deduzir o peso de um cogumelo com base em sua aparência física é um grande erro. O método mais correto é pesá-lo em uma balança de precisão.
      5. Sabe, isto é muito relativo, subjetivo. Não sei como responder a esta questão.
      6. Esta é uma questão importante. Sempre existirão riscos, e os riscos podem ser prejuízos maiores que uma simples dor de barriga. Você pode contrair uma infecção generalizada e necessitar de antibióticos. Você pode também se contaminar com alguma bactéria muito perigosa e desenvolver doenças graves, e etc. A mente, por sua vez, é um labirinto enorme, de proporções astronômicas. Há a possibilidade de você se perder neste labirinto. Enfim.
      Quanto à última pergunta, bem, é claro que eu recomendaria música e natureza como companhia e plano de fundo para você em suas experiências. Sugiro que vá acampar, faça uma fogueira. Ouça o som da noite, observe o céu. Se tiver acesso a energia elétrica, ouça sets de Psybient, Chillstep, Chillout. São alternativas aos gêneros clichês (não que eu não goste deles). Aconselho que escute Kaya Project, Tycho, Carbon Based Lifeforms, Entheogenic, Suduaya, e coisas do tipo que lhe ocorrerem ouvir.
      Um grande abraço e obrigado pelas palavras. Quanto aos vídeos, seria bacana. Interessante. Um dia, quem sabe.

      Curtir

  14. Muito legal seu texto!!! estou tentando cultivar em casa, e seus toques foram muito uteis: tenho algumas pergunta: coletei alguns estercos com alguns cogumelos e eles estão brotando, só que são meio pequenos pois eram de estrume de cavalo,, naquelas bolinhas menores…queria saber:
    1 -como aproveitar esse ambiente propicio, para começar a cultivar… alguns que ja estavam meio danificados , enterrei pedaços pequenos em alguns outros estrume que coletei – Mas pelo que li , os esporos estão no micélio e em determinada fase.
    2 tem algum segredo quanto ao micelio, de repoduzilo ? – 3 posso substituir o esterco pelo que? 4 indica alguma publicação sobre o cultivo? grande abraço e mto obrigado por compartilhar seu conhecimento!

    Curtir

    1. Olá, Roberto. Lamento informá-lo, mas pode descartar todo o esterco que você coletou. Estrume de cavalo, normalmente, não é um bom substrato para cogumelos psicoativos. As primórdias que surgiram nessas suas fezes possivelmente são de Panaeolus, mas não de algum alucinógeno. Talvez, sejam até venenosas. Atente-se a este detalhe: o esterco correto é o da vaca, ou o do boi. Nunca procure nada nos excrementos do cavalo. Há maneiras de se controlar o desenvolvimento de colônias a partir de esterco, ou de compostos orgânicos pasteurizados, mas, sinceramente, tratam-se de procedimentos trabalhosos e, às vezes, pouco eficazes. Sabe, não há um caminho fácil. Essa ideia de que a merda coletada em um pasto vai simplesmente “florescer” em uma jardineira na sua casa é um erro. Micélios selvagens estão adaptados ao meio em que eles nasceram, se desenvolveram e se reproduziram, de modo que retirá-los de seu habitat significa privá-los das condições mínimas à sua sobrevivência. Se o que você quer é cultivá-los em um simulacro, lhe recomendo recorrer à compra de um kit básico de cultivo de cogumelos para iniciantes e estudar um pouquinho as metodologias de cultivo. Você entenderá que fungos selvagens são diferentes de fungos de raças domesticadas. Os primeiros desenvolvem-se exclusivamente no seio da mãe Natureza; os segundos podem crescer em um terrário dentro de sua casa, como se fossem plantinhas. Tudo depende de técnica e, claro, de um investimento inicial (que não é alto). Em se tratando de técnica, há uma em especial que faz certo sucesso entre cultivadores amadores. Ela é chamada de “PF”, ou “PF TEK”. Procure por mais informações a respeito na internet que você certamente encontrará algum tutorial que o oriente. Talvez eu mesmo organize por aqui algum material, mas não será agora. Um abraço e boa sorte.

      Curtir

  15. Olá! Eu tomei a primeira vez 1g desidratado mastigando sem nada depois tomei água.
    No geral eu não tive uma viagem….
    Senti-o bem forte mesmo um desconforto considerável na parte de trás da praticamente na nuca. E demorou bastante a passar tudo.
    Estou achando que demovo tomar uma dose maior para transpor esse desconforto, o que acha?

    Curtir

  16. Olá, boa noite!
    Gostaria de saber se há um tempo de intervalo recomendado entre as doses, se há um limite de consumo anual, se pode causar algum dano caso tome mais que esse limite, se houver.
    agradeço desde já, abraços!

    Curtir

    1. Olá, Juliana. O intervalo se mostra importante sim, pois, como qualquer substância usada demasiadamente, os alcalóides do cogumelo podem desencadear no organismo humano alguma tolerância aos seus efeitos. A questão, entretanto, é maior do que isto. Estamos falando da integridade do indivíduo, e de sua saúde mental. É disso que se trata, e este é um aspecto subjetivo demais para se sujeitar a uma generalização que eu poderia fazer aqui. Grosso modo, eu sugeriria a uma pessoa comum (uma que não sofra de desvios de ordem psíquica e/ou psicológica) que se resguarde pelo tempo mínimo de 30 dias entre a ingestão de uma dose e outra. Isso não deve significar, porém, que o indivíduo está livre para manter necessariamente uma frequência mensal de uso dos cogumelos. É melhor que se faça uma pausa em dado momento. Veja que uma única experiência psicodélica pode revelar uma qualidade tão complexa de informações que à mente reste manter-se em seu estado normal por anos até que seja capaz de assimilar tudo de extraordinário a que se submeteu, antes também de meter-se em outra viagem. Mais uma vez: isto tudo é muito subjetivo. Conheça a si mesma e, então, decida quando ingerir. Sempre sem pressa, sem exagero. Diante da insegurança e da dúvida, cogite adiar o uso. Meu conselho é a preparação. Ela é o melhor remédio para o medo. Uma boa sorte e um abraço.

      Curtir

    1. Olá, Fábio. Se você tem certeza de que estão realmente mofados, você deveria contactar o vendedor e pedir a ele que troque esses por outros. Certamente, foram secados de forma errada. Você pode ter uma simples dor de barriga se ingeri-los, mas a possibilidade de infectar-se mais seriamente existe, e você poderia ter de se submeter a uma intervenção médica. Não é bom arriscar, mofo é mofo.

      Curtir

    1. O cogumelo, estando fresco, deve durar uns 3 dias na geladeira, e a secagem apenas por ventilador não assegura a você que suas peças durarão muito mais do que isso. O vento seca os cogumelos somente superficialmente. Dessecantes devem ser utilizados também para que se extraia completamente a umidade de todos eles. Pode até ser que, secas por ventilador, suas peças durem 1 semana ou mais, mas é provável que elas mofem. Seque-os e guarde-os em um frasco com arroz cru, ao menos. Boa sorte.

      Curtir

  17. Olá, como vai!? Pesquisei e não encontrei nada sobre a legalidade ou não no Uruguai! Vamos encontrar um casal de amigos lá no Uruguai e não sei se posso ter problemas lá ao levar 4 (quatro) cogumelos mágicos, 4 (quatro) ecstasy e 4 (quatro) lsd! Somos em 4 pessoas e lógico que não pretendemos misturar ao tomarmos!
    Vamos de avião, sabe onde posso encontrar essas informações?

    Agradeço se puder ajudar!
    Abraço!

    Curtir

    1. Olá, Carls. Você deve se precaver tanto para sair do Brasil quanto para desembarcar no Uruguai. No nosso país, a lei nº 11.343, de 2006, é o ordenamento que trata das políticas públicas sobre drogas atualmente. Observe, mais especificamente, a Portaria n° 344, de 1998, do Ministério da Saúde, pois ela arrola todas as substâncias consideradas ilícitas por aqui. Para que uma droga seja considerada proibida (em aeroportos e em quaisquer lugares) ela deve estar relacionada nesta Portaria. No Uruguai, a legislação vigente é a lei nº 14.294, de 1974, modificada pela lei nº 17.016, de 1998, e pela lei nº 19.172, de 2013. Dê uma boa olhada em todos os seus artigos e, lembre-se: o Uruguai regulamentou, recentemente, apenas o uso da Canábis, através do cultivo privado, para uso recreativo, e por um sistema controlado pelo Estado que viabiliza a produção e a venda da maconha em farmácias. Isto não quer dizer que o país está aceitando que se faça o uso indiscriminado de outras substâncias, como o ecstasy e o LSD, a que você se referiu. Tome cuidado, há um certo rigor em segurança nos aeroportos internacionais e, mais uma vez, consulte as legislações vigentes. Boa sorte.

      Curtir

  18. Há! E não encontrei nada sobre a legalidade ou não no Uruguai do Chá Mate de Coca produzido na Bolívia! :/
    Pretendo levar uns 20 sachês ou mais…

    Curtir

  19. Olá amigo tudo bem?

    Pelo que observo em seu artigo e em suas respostas nos comentários fica evidente que você tem um bom conhecimento a respeito do assunto. Estou pesquisando pois pretendo domesticá-los afim de fazer microdosagens e algumas experiencias pessoais.

    Por gentileza diga-me o que acha:

    – Em uma experiência espiritual ou recreativa os domesticados produzem os mesmos efeitos que os naturais? (tipo os naturais a conexão é maior)

    – Um cogumelo fresco de 10g depois de seco e desidratado fica com menos ou mais do que 1g?

    – Depois de todo o processo e bem armazenado, por volta de um ano o efeito mesmo que minimamente diminui?

    – Você ja tentou pegar um gnomo desses que cultivam os pastos na tentativa de semear o quintal … se sim como que faz? …..

    kkkk essa última é zuera, a uns bons anos atras eu saia pra caçar, no tempo não tinha informações e era trampo … cometia alguns erros de achar que os esporos é que tinham relevância tipo quanto mais preto melhor … perdi varios chas por deixar ferver …. jogava as estipes fora … nunca conseguia guardá-los e enfim o maior problema sempre foi acha-los … o próprio nome não é mera fantasia pois são mágicos mesmo … como explicar um pasto que não tinha e de tanto fuçar nele derrepente apareceu … nem sempre os fatores necessários são só chuva e sol … eu ainda penso que os gnomos estão por traz disso, polinizando tals …rs… que alegria que é achar um cogumelo no pasto …. sem falar que é sem descrição a sensação espiritual de conexão com a natureza … gostei das referências musicais citadas acima … conhece muito!!!

    Valeu!!!

    Curtir

    1. Olá, Alex. Agradeço o elogio. Conheço, sim, alguma coisa, mas apenas do ponto-de-vista prático e experimental. Não sou um acadêmico, um cientista, e meus conhecimentos em micologia são extremamente básicos e pouquíssimo teóricos. Deixo isto claro antes de tentar responder às suas perguntas, OK?
      Veja, há que se esclarecer uma coisa importante: domesticar cogumelos não é tarefa fácil e este procedimento é bem diferente de se cultivar uma raça já domesticada. Como sua intenção é obter microdosagens, pura e simplesmente, não há a necessidade de aparelhar sua casa com uma estrutura que lhe possibilite domesticar espécies selvagens. A fim de ter seus próprios cogumelos e dosá-los à sua maneira, só o que você precisa é de um terrário adaptado e de outros elementos simples, como um aquecedor com termostato, itens de limpeza, além, claro, de algum conhecimento em cultivo amador. Enumerei, abaixo, minhas respostas conforme a ordem de suas perguntas, me abstendo com relação à questão dos gnomos (Hehehe).

      1. Em qualquer experiência, cogumelos domésticos produzem o mesmo efeito que cogumelos selvagens, e ambos são naturais.
      2. É impossível precisar a perda em gramas. A razão é, mais ou menos, esta mesma, 10 para 1.
      3. Sim, é perfeitamente aceitável que, depois de um ano, alguma oxidação ocorra, mas, mantidas as boas condições de armazenamento, a perda é insignificante.

      Curtido por 1 pessoa

      1. Se você é micólogo eu não sei … mais que você é truta do gnomo (seres elementais) eu desconfio que sim … espero que eles venham me visitar quando eu iniciar o processo… rs

        Bom, fazem alguns dias que estou pesquisando e encontrei os seus artigos que me esclareceram todas as duvidas restantes … não apenas no conteúdo em si mas tb aqui nos comentários … teve galera que fez perguntas certeiras … e o complemento aqui foi o que faltava …

        Já levantei as informações passo a passo e montarei um terrário assim que possível, pois é exatamente o que preciso.

        Muita gratidão e Muito Sucesso pra você!!

        Abraço!

        Curtir

      2. Legal, Alex. Muito bom. Vou te dar uma dica: o segredo do bom resultado é a assepsia, em um nível clínico, laboratorial. Caso você descuide deste aspecto, em qualquer etapa do procedimento, você pode perder todas as suas colônias muito facilmente. Os cogumelos são apenas a frutificação, e só surgem depois de o micélio resistir a todos os contaminantes, que existem aos milhões à sua volta. Dos instrumentos de trabalho, às mãos e roupas do cultivador, ao ar e ao próprio substrato do qual ele se alimentará, tudo o que há é bactéria. Atente-se a isso e saiba que a chance de um primeiro flush dar errado é grande, e até normal. Não desanime, porém. Com paciência e prática, você conseguirá. Já ouviu falar de glove box? É um item interessante à inoculação das culturas. Eu recomendaria a você estudar a respeito.

        Curtir

      3. na hora que eu vi a glove box eu assustei um pouco … é muito fácil de contaminar né?! … irei me preparar com extremo cuidado, tenho mais alguns dias pra estudar e de inicio seguirei sem a glove box com eximio carinho e atenção as dicas, principalmente após esterilizar e a assepsia … estou preocupado em como conseguir esporos bons pois tenho a intenção de criá-los com o terrário no conforto da casa … Aqui na região tem alguns pastos mas são dificeis de achar … existe um enigma neles… até pensei em sair e tentar encontrar um e aproveitar os esporos … mas pelo jeito seria em vão pois pelo o que estou entendendo preciso do esporo dos que ja estão domesticados … bom seguirei confiante e qualquer novidade ou help estarei aqui …

        Curtir

      4. Exatamente. Esporos de cogumelos selvagens estão contaminados. Você vai precisar de carimbos de boa procedência, de cogumelos domesticados. Eu, na verdade, optaria por seringas de cultura líquida. Você inocula por injeção e não precisaria expor os esporos ao ar. É mais seguro.

        Curtir

  20. De verdade muito obrigado!!! Tomarei todos os cuidados com relação a isso … penso que o inverno está para chegar e pode ser favorável . Porém toda essa conversa me despertou para mais uma questão e por gentileza se souber me diga:

    Será que compensa montar o terrário? pq pelo gasto que eu terei estou começando a desconfiar que não deve vingar uma pesagem interessante. Ou seja talvez seja mais conveniente comprá-los desidratados já.

    Curtir

    1. Olha, se compensa ou não compensa, é você quem tem que dizer porque eu não sei até onde você quer ir a fim de ter seus cogumelos. A qualidade de um primeiro flush depende muito da técnica empregada. É provável que, de imediato, e supondo que você opte por cultivo por “PF TEK”, algumas de suas colônias tenham que ser descartadas. É possível que só lhe reste uma única colônia, que lhe renda um único cogumelo, no final das contas. Em se tratando de uma primeira tentativa, isso pode acontecer, sim. Se pergunte: até onde estou disposto a ir? Saiba que não é fácil. Você não vai conseguir colher 1 quilo de cogumelos assim de uma hora para a outra. Talvez você tenha que tentar várias vezes antes de obter algum sucesso, mas é errando que se aprende e, se você estiver disposto a ir mais longe, num dia você estará aprimorando geneticamente suas próprias raças, a partir de placas de Petri e da seleção de fragmentos de micélios com maior rizomorfismo, a fim de induzi-los a se reproduzirem mais e a serem mais fortes. Você poderá ter várias strains, poderá colecionar, trocar, vender, enfim. Essa coisa de cultivar cogumelos é baseada na paciência e no estudo. Leva tempo, mas quando você entende como jogar o jogo, você tem toda a psicodelia de que precisa, para sempre. Se, por outro lado, o que você quer é uma única experiência, então, compre, sim, uma porção de cogumelos desidratados e seja feliz, de igual maneira.

      Curtido por 1 pessoa

      1. Nossa que legal é um universo amplo, você tem razão realmente tudo é relativo e muito dependerá da técnica, cuidados e habilidade de mexer com eles …mas seguirei firme,…
        Desde de muleque que eu tinha interesse nisso e nunca tinha imaginado que era possivel cultivá-los em casa …. que coisa como pude passar tanto tempo sem saber disso e agora em meia idade tchan-rammm … bom pode-se dizer que tudo tem a sua hora hehehe … já pensou viver de cogumelos kkkk zuera … a minha intenção é para experiencias pessoais e entre amigos e enfermos que necessitem dos poderes mágicos de curas naturais, pretendo alcançar uma bela strain … será uma terapia muito boa a começar pelo cultivo …

        Logo mais eu volto pra falar o que está acontecendo ..rs … no entanto só gratidão!!!

        Curtido por 1 pessoa

  21. Boa noite, tudo bem? Legal as dicas, acabei de comprar Psilocybe Cubensis Desidratados 4g, como nunca usei essa parada vou comer ele seco mesmo, apenas 1g e ver no que da, nem sei se vai fazer efeito, fiz bariátrica então meu organismo absorve menos nutrientes que pessoas normais, talvez 1g para meu organismo acaba sendo o mesmo que ingerir metade. vamos ver.

    Curtir

    1. Olá, Paulo. Cuide para não ter problemas com algum desarranjo intestinal caso você ainda estiver em recuperação pós-cirurgia. Não sendo esta sua situação, opte por tomar 1 grama mesmo, apenas para experimentar. Você pode ir mais além depois, com as outras doses. Atente-se também à pandemia de Covid-19. Experiências psicotrópicas, por enquanto duram seus efeitos sobre um indivíduo, afetam significativamente seu sistema imunológico. Um abraço.

      Curtir

  22. Muito legal seu site, só que eu tenho uma dúvida em relação a desidratação, qual as formas que posso fazer isso?No caso da sílica laranja, logo após a colheita eu deixo dentro do pote com a silica?
    Quanto tempo demora esse processo?
    E depois disso, como devo armazenar os cogumelos desidratados?
    Gratidão meu camarada

    Curtir

    1. Olá, Elton. O passo-a-passo está muito bem descrito exatamente neste tópico acima. Por favor, peço que leia tudo com atenção e você sanará todas as suas dúvidas, pois, para cada uma delas, há uma resposta bastante clara. Veja que, se eu tiver de lhe responder a todas essas questões, eu simplesmente terei de reproduzir para você todo o procedimento que registrei acima, e não há como eu fazer isto de maneira resumida aqui neste campo de comentários. De qualquer forma, já adianto: não coloque os cogumelos em contato com a sílica imediatamente após a colheita. São necessários alguns cuidados antes. Leia as orientações e você entenderá tudo certinho. Obrigado.

      Curtido por 1 pessoa

      1. Em partes eu entendi, só que invés de eu usar o ventilador, posso colocar eles direto na sílica, ou devo deixar um pouco no ventilador? Estou começando o cultivo agora, mas como se trata de bastante cuidado, não quero errar, e seu blog está esclarecendo bastante coisa.Parabéns pelo conteúdo. Existe alguma forma de eu conservar os cogumelos frescos?

        Curtir

      2. Não os coloque diretamente em contato com a sílica. Os dessecantes só são eficientes depois da secagem por ventilação. Eles apenas retiram a umidade residual dos cogumelos. Quanto a conservar cogumelos frescos, há quem o faça imergindo, e mantendo, peças em mel. Essa estratégia pode funcionar por algum tempo. Não permanentemente. Você pode também refrigerar ou congelar. Na geladeira, eles duram alguns dias. No freezer, duram algum tempo legal, mas o congelamento os oxida, o que não é, obviamente, muito interessante.

        Curtir

  23. Cara, seu site é incrível!!!
    Estou a dois dias lendo um bocado de coisas depois de assistir um seriado no Netflix e me sentir atraído pelo assunto. Aqui aprendi demais, muito didático. Logo espero experimentar.
    Abraço.

    Curtir

  24. Muito bom seu site e sua disponibilidade em responder as perguntas, nessa troca de informação também é possível aprender muita coisa. Eu estou numa situação de impasse a respeito de uns cogumelos cubensis que cultivei em casa, eles levaram bastante tempo para brotar. Brotaram em tamanhos variados e eu sequei utilizando um ventilador por aproximadamente 15 horas, acontece que eles não ficaram esfarelentos e estão com uma coloração mais escura do que os cubensis que costumo comprar. Eles estão armazenados em um saco justo com sílica há aproximadamente 2 meses e 1/2. Você acha que pode haver algum problema em consumi-los? Existe alguma contra-indicação sobre o uso de cogumelos secos velhos, ou essa coloração mais escura?

    Curtir

    1. Olá. Atente-se à possibilidade de contaminação. A água, quando presente por muito tempo nos cogumelos, sujeita-os a isso. O escurecimento por si só, entretanto, não é problema algum. Isso se deve a um processo natural de oxidação dos alcaloides. Há cogumelos que escurecem mais, outros menos. Normalmente, Psilocybe escurecem menos que Panaeolus, por exemplo. A fim de evitar a oxidação, e o escurecimento dos cogumelos, observe o seguinte: você manipula com cuidado as peças antes de as secar? você as mantém inteiras ou as despedaça antes de as secar? ao lavá-las, você as submete a um fluxo muito forte de água ou você as limpa sob um fio fraco de água? Quanto à textura dos cogumelos, se os mesmos permanecerem macios, ou não crocantes, é isto um indicativo de que há água neles. Tome cuidado, eles podem embolorar se se mantiverem úmidos por muito tempo. Eu diria que você deve arranjá-los em um frasco de vidro com tampa e descartar o saco. Observe também se os dessecantes que você está utilizando já não expiraram. Se forem sachês de gel de sílica, por exemplo, veja se o volume dos sachês estão granulares e não estufados. O volume da sílica não deve estar pulverizado. Provavelmente, o problema aí são os dessecantes e, talvez, o recipiente de armazenamento. Portanto, mais uma vez: frasco de vidro devidamente tampado e dessecantes novos resolvem a questão. Quanto ao escurecimento, se corresponder à coloração típica da oxidação natural dos alcaloides, está tudo bem.

      Curtir

  25. o que voce tem a dizer, a sua opniao sobre o consumo por de menores? tenho 14 anos com experiencias so com nbome entorno de 10, com resultados a longo prazo me sinto muito mais perceptivel, agora eu olho pro mundo, pras pessoas e reajo como um adulto e nao mais como um garoto de 14 anos entendo melhor as pessoas e as questoes sociais, esses resultados estao acontecendo ao passar do tempo, das situaçoes que me de paro muito mais perceptivel tomo escolhas sabias.

    Curtir

    1. Olá, Rayan. Eu não reduzo a questão a um problema policial, ou de ordem moral e ética, como quer a maioria em nossa sociedade. Não posso, por outro lado, afirmar que, em uma experiência psicodélica, os valores apreendidos por uma mente jovem sejam os mesmos, em qualidade e significação, que os assimilados por uma mente mais madura. Já disse por aqui que os enteógenos funcionam como catalisadores evolutivos e não como a evolução em si, pronta para ser incorporada livre e gratuitamente por qualquer pessoa. Experiência de vida, nesse sentido, é a chave para se entender a experiência psicodélica em nível realmente enteogênico e não meramente recreativo, lúdico. Não é isto, necessariamente, uma suposição pessoal. Trata-se de uma relação matemática diretamente proporcional entre parâmetros e o que se pode aprender com eles; entre memória e perspectiva de futuro; entre, por fim, tempo e evolução. Eu posso aceitar que você se sinta mais adulto e que esteja tomando decisões mais sábias, mas vá devagar. Dê tempo ao tempo. O conhecimento, e as virtudes, são uma construção que não se faz pelo excesso de informações, mas pelo processamento lento e gradual de uma ou outra grande verdade.

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s